sábado, 29 de junho de 2013

PALHADA (SALADA FRIA DE BATATA COM ALFACE)

PALHADA (SALADA FRIA DE BATATA COM ALFACE)
Esta receita de salada fria com batata e alface, semelhante a migas frias) é típica da região do Ribatejo e a minha mãe fazia muitas vezes quando eu era solteira.

Nunca soube o nome! Hoje fiz uma pesquisa e descobri que se chama Palhada e pelo vistos pode ser feita com puré de batata. Eu nunca faço, não é necessário o trabalho de estar a passar a batata, basta esmagá-la com um garfo!

É um acompanhamento óptimo para os dias quentes, tanto com carne como com peixe (com sardinha é uma maravilha!).

Ingredientes

Alface q.b.
Batatas q.b.
Cebola q.b.
Azeite q.b.
Vinagre q.b.
Sal q.b.

Modo de preparação

Comece por cozer as batatas em água e sal (pode aproveitar sobras de batatas cozidas até porque convém que elas estejam o mais frias possível para não cozer a alface)

Entretanto lave muito bem a alface e corte-as como para caldo verde um pouco mais grosso. Junte a cebola muito bem picada.

Quando as batatas estiverem coloque-as num prato e esmague-as com um garfo e deixe arrefecer (sugiro que as coloquem já esmagadas num recipiente e este dentro de água para que arrefeçam mais rápido, envolvendo-as de vez em quando para acelerar o processo).

Junte as batatas à alface, tempere com o azeite e umas pingas de vinagre (não sou muito apreciadora de vinagre, mas nesta receita acho que faz toda a diferença). Envolva muito bem com a ajuda de 2 colheres.

Rectifique os temperos e está pronto.

NOTA: Se fizer com puré de batata não junte leite. Deve ficar seco, pois ao adicionar à alface o puré torna-se mais mole.
Cá em casa faço 2 versões: uma normal e outra sem cebola e vinagre:))

quarta-feira, 26 de junho de 2013

DICAS - TUDO FRESCO NA PRAIA

DICAS - TUDO FRESCO NA PRAIA
Como conservar os alimentos e as bebidas frescas na praia ou no piquenique? Deixo-vos uma dica de como faço cá em casa, principalmente nestes dias de quase 40ºC de temperatura.

Na véspera coloco garrafas cheias de água no congelador, tendo o cuidado de encher apenas até que falte cerca de um dedo para ficar completamente cheia, porque ao congelar a água dilata e enche mais a garrafa (a da foto já está a meio da congelação).

Depois coloco-as dentro do saco térmico juntamente com os alimentos (fruta, iogurtes, etc.) e outras bebidas que se leve (pacotes de sumo, por exemplo).

Normalmente só fico na praia meio dia, por isso levo garrafas pequenas (uma para cada um), mas pode congelar garrafas grandes e levar copos de plástico. A água vai-se bebendo (bem fresquinha!) porque vais descongelando mesmo dentro dos saco e as restantes coisas conservam-se frescas.

segunda-feira, 24 de junho de 2013

FRANCESINHAS À MODA DO PORTO

FRANCESINHAS À MODA DO PORTO
Nunca comi as originais, mais há muito tempo andava tentada a experimentar e resolvi fazer para o lanche ajantarado de ontem (domingo). Foi uma "festa" para as crianças com uns comentários interessantes: "Mãe, como é que eu como isto?! Ninguém me ensinou...!! Isto é tipo fast food caseira!". Pois não se pode comer à mão por causa do molho e para comer com faca, tem muita altura para o corte:)).

A receita do molho (fonte: Guia da francesinha publicado pelo Jornal de Notícias) que vou partilhar, dá perfeitamente para 8 francesinhas, mas o que sobrar pode-se congelar.

Veja a história deste prato no final da receita.

Ingredientes

Molho
2 cebolas médias picadas
5 dentes de alho grandes picados
50 gr de margarina
1 colher de sopa rasa de banha de porco
1 folha de louro
Restos de gordura e couratos de bacon e presunto (não usei)
Cubinhos de presunto e bacon (não usei substitui por 1 cubo de caldo de galinha)
1 colher de chá de massa de pimentão
3 colheres de sopa de polpa de tomate
1 colher de sopa de mostarda
66 cl de cerveja (usei 55 cl = 1 garrafa)
33 cl de vinho branco
1 copo (de vinho) de vinho do porto
1 cálice de uísque
1 cálice de brandy (não usei)
sal e picante a gosto (pode ser malagueta)
2 colheres de sopa de farinha de trigo
3 colheres de sopa de farinha de molhos (amido de milho por exemplo Maizena)
1 copo de vinho branco (usei leite)

Sandes
Pão de forma em fatias ligeiramente torradas (2 para cada sandes)
salsichas frescas q.b. (1/2 de uma cortada ao meio para cada sandes)
linguiça q.b. (1/2 de uma cortada ao meio para cada sandes)
bifes de vaca, de perú, de porco ou carne assada (fiz com vaca)

fiambre q.b. (1 fatia para cada sandes)
mortadela q.b. (1 fatia para cada sandes, não usei)
queijo flamengo às fatias q.b. (cerca de 5 fatias para cada sandes)

Modo de preparação

Leve ao lume, de preferência em tacho antiaderente, a margarina, a banha, a cebola, o alho, a gordura e os bocadinhos de bacon e de presunto e deixe cozinhar até a cebola começar a estalar (as gorduras que não usei substitui por 2 colheres de sopa de azeite).

Junte então a polpa de tomate, a massa de pimentão, (adicionei o cubo de caldo de galinha), deixe refogar um pouco e refresque com a cerveja. Deixe ferver. Junte a mostarda e o vinho branco. e deixe levantar fervura novamente. De seguida junte o vinho do porto, o uisque e o brandy e deixe ferver. Tempere de sal e picante (usei malagueta que adicionei no 1º passo).

Dissolva as 2 colheres farinha de trigo com uma chávena de chá de vinho branco (usei leite). Retire o tacho do fogão e misture. De seguida junte a farinhda de molhos (Maizena). Passe para outro tacho antiaderentes através de um coador, espremendo bem com ajuda de uma colher para que no coador só fiquem os restos sólidos.

Leve novamente a lume brando, para cozer a farinha, mexendo sempre. Rectifique os temperos.

Enquanto prepara o molho, confecciona as carnes. Grelhe ou frite os bifes e as salsichas.

Montagem da Francesinha:

Fatia de pão
Mortadela
Salsicha
Linguiça
Fiambre
Bife ou carne assada
Fatia de queijo
Fatia de pão

Por cima da sandes disponha 5 fatias de queijo, de modo a que fique 1 em cada lado da sandes "presa" no topo da sandes com outra fatia de queijo.

Coloque as sandes num recipiente que possa ir ao forno e vão ao forno a 200º, durante cerca de 20 minutos ou até o queijo começar a derreter (assim que comece a borbulhar retire do forno).

As francesinhas devem ser servidas em prato fundo e cobertas com bastante molho.

Acompanhe com batatas fritas. 

BREVE HISTÓRIA


Daniel David Silva, minhoto emigrante em França e Bélgica, especialista em cocktails, era “bastante mulherengo”. Regressado ao Porto, foi trabalhar para um dos afamados restaurantes "A Regaleira" e descobriu que as mulheres eram demasiado discretas para o que estava habituado, andando muito tapadas e sendo muito reservadas.
"A desilusão com as mulheres portuenses levou-o, segundo Graça Lacerda, a querer criar um prato “apurado”.
“Ele dizia que a mulher mais picante que conhecia era a francesa. Quis dar um toque picante ao prato e chamou-lhe francesinha”, disse.
O petisco, que nos anos 50 era uma comida fora de horas - um lanche reforçado ou uma merenda depois de uma sessão de cinema tardia - estava conotado com o universo masculino.
“Ainda sou do tempo em que a francesinha era vista como um prato para rapazes solteiros. As raparigas que comiam francesinha eram mal vistas”, recordou.
Os tempos mudaram e com ele os preconceitos relativos à francesinha e até a sua própria “fisionomia”: um petisco que era pouco mais do que uma tosta mista com molho tornou-se num parto mais do que sustentado, para responder à evolução da sociedade.
“Hoje em dia, já não temos tempo para o lanche e as sessões de cinema proliferam. A francesinha passou a ser um prato de almoço ou jantar, ao qual se juntou a batata frita”, explicou Graça Lacerda, que se tornou especialista na matéria depois de longas pesquisas." Fonte: ionline

"A francesinha é constituída por linguiça, salsicha fresca, fiambre, carnes frias e bife de vaca ou, em alternativa, lombo de porco assado e fatiado, coberta com queijo (posteriormente derretido). É normalmente guarnecida com um molho à base de tomate, cerveja e piri-piri. Ovos estrelados (no topo da sanduíche) e batatas fritas são facultativos.

Uma das teorias sobre a origem da francesinha remonta aos tempos das invasões francesas: Os soldados franceses costumavam comer umas sandes com pão de forma e onde colocavam toda a espécie de carnes e muito queijo. Mas faltava uma coisa importantíssima que os portuenses imediatamente passaram a colocar nas ditas sandes – o molho.

No entanto, actualmente parece haver alguma unanimidade em dar os créditos da sua criação a Daniel David Silva, então empregado do Restaurante A Regaleira na década de 1950. Tendo trabalhado em França, Daniel Silva criou a francesinha com base na tosta francesa, ou croque-monsieur, e daí o nome." Fonte: Café Santiago


domingo, 16 de junho de 2013

SORVETE DE MANGA E IOGURTE

SORVETE DE MANGA E IOGURTE
Há uns dias fiz este sorvete que tinha visto o Jamie Oliver fazer num programa de televisão. Super rápido, fácil, fresco e saboroso!

Quando ia para tirar foto... ups... bateria da máquina fotográfica descarregada! E o sorvete não esperava!!

Entretanto "O Mundo de Kali" fez e publicou, portanto a fonte é desse blog (Foto e texto). Obrigada!

"Ainda com o sabor da manga fresca na boca deixo-vos aqui esta sobremesa fresca, deliciosa e super rápida de fazer.

Apetecia-me algo fresco para a sobremesa. Tinha congelado alguma polpa de manga e lembrei-me que tinha visto há tempos o Jamie fazer um sorvete que me tinha deixado curiosa. Também tinha dois iogurtes a terminar o prazo, por isso resolvi experimentar.

Adorei! Em 5 minutos temos o sorvete pronto a servir, ou como no meu caso guardar no congelador até ser hora de servir. E acima de tudo como não leva natas podemos comer sem culpas :)"

Ingredientes

500gr de Polpa de manga congelada
250gr de Iogurte natural
sumo de uma Lima
2 colheres de sopa de mel (coloquei 3 para ajustar a acidez)
Algumas folhas de menta (como não gosto de menta não coloquei)

Modo de preparação

"Todos os ingredientes no robot de cozinha. Alguns segundos, até termos tudo bem misturado e já está!
Coloquei numa embalagem de gelado com tampa para ir ao congelador.
Na hora de servir polvilhei com cacau em pó como ele sugeria, mas na minha opinião é dispensável.
Faz cerca de 10 bolas de gelado, por isso aqui em casa ainda sobrou para amanhã hehe"

MINHA NOTA: Quando o fiz também sobrou e guardei parte no congelador e outra parte no frigorífico para ver como se comportavam! O do congelador ficou muito rijo nem se conseguia partir e o do frigorífico ficou líquido. Portanto esta receita deve ser consumida na altura em que se faz e não deve esperar muito. Como é tão rápida não precisa de ser feita com antecedência, as pessoas podem esperar um pouco (é preferível!)

APÓS PUBLICAÇÃO: Fui fazer pela 2ª vez e já deu para tirar a foto. Decorei com chocolate ralado.




BOLO DE VIDRO

BOLO DE VIDRO
Um dia fazia eu uma pesquisa sobre sobremesas, doces e/ou bolos que levassem gelatina e deparei-me com esta maravilha!
Faz um vistaço e deve ser um bolo bem fresquinho e saboroso.
Não o fiz e é bem provável que nunca o venha a fazer, apenas porque é necessário muito espaço no congelador para a sua confeção, mas tenho pena...quem sabe um dia!
A receita foi retirada daqui e podem ver o vídeo.


Ingredientes da massa

5 ovos inteiros

7 colheres (sopa) de açúcar

11 colheres (sopa) de farinha de trigo


Ingredientes da baba de moça

9 gemas passadas na peneira

200 ml de leite de coco

2 chávenas (chá) de açúcar


Ingredientes da geléia de damasco

250 g de damasco

500 ml de água (+/-)

1 chávena (chá) açúcar


Ingredientes da 1ª montagem:

bolo já assado

baba de moça

geléia de damasco

500 ml de chantilly industrializado batido ou 500 ml de creme de leite fresco gelado batido com 5 colheres (sopa) de açúcar em ponto de chantilly

morangos p/ decoração


Ingredientes finalização da montagem

8 xícaras (chá) de água

500 g de açúcar

110 g de gelatina sem sabor

1 caixinha de gelatina com sabor de sua preferência

bolo decorado gelado (na fôrma)


Modo de preparação





Modo de preparo da massa

Numa batedeira bata 5 ovos inteiros e 7 colheres (sopa) de açúcar, até dobrar de volume (ficar um suspiro). Diminua a velocidade da batedeira e acrescente 11 colheres (sopa) de farinha de trigo (sem deixar de bater, para que misture de leve). Desligue a batedeira e misture delicadamente a massa (de baixo para cima). Transfira para uma forma de 20 cm de diâmetro e 8cm de altura, untada com margarina. Leve ao forno pré-aquecido a 180 graus por 25 minutos. Reserve.

Modo de preparo da baba de moça

Numa panela coloque 9 gemas passadas na peneira e 200 ml de leite de coco. Misture bem. Junte 2 chávenas (chá) de açúcar. Misture novamente e leve (sem parar de mexer) ao fogo médio até ferver +/- 5 minutos. Reserve.

Modo de preparo da geléia de damasco

Numa panela leve ao fogo 250 g de damasco com +/- 500 ml de água. Deixe cozinhar.
Transfira para o liquidificador (com a água do cozimento) e bata até virar um creme (se preferir o recheio com pedaços de damasco bata menos). Volte esse creme à panela e leve novamente ao fogo com 1 chávena (chá) açúcar. Deixe reduzir (sem parar de mexer) por +/- 3 minutos.

Primeira montagem

Corte o bolo reservado na transversal em 5 camadas (discos). Coloque a camada do fundo do bolo num prato de papelão e cubra com metade da baba de moça reservada. Coloque a segunda camada de bolo e cubra com metade da geléia de damasco reservada.

Em seguida

  • terceira camada de bolo e o restante da baba de moça.
  • quarta camada de bolo e o restante da geléia de damasco Cubra com a camada restante do bolo (quinta).
Cubra o bolo já recheado com o chantilly batido, alisando com o auxilio de uma espátula.
DICA: Na parte superior do bolo alise o chantilly com a espátula no sentido de fora para dentro.
Corte a rebarba do papelão deixando só fundo (com o bolo).
Coloque o bolo já no fundo da forma untada com oléo (25 cm de diâmetro e 10 cm de altura) sem o aro da volta (assadeira de fundo removível). Enfeite o bolo e finalize a decoração com os morangos.
OBS: Unte bem a forma, o fundo e a lateral com óleo.
Coloque o bolo já decorado sobre um suporte (lata) e coloque o aro da forma de baixo para cima. Leve para o congelador.

Finalização da montagem

Dissolva 110 g de gelatina sem sabor e 1 caixinha de gelatina de limão ou sabor de sua preferência em 3 chávenas (chá) de água. Reserve.
Numa panela coloque 5 chávenas (chá) de água (restante) e 500 g de açúcar. Leve ao fogo até para ferver. Junte a gelatina dissolvida reservada. Misture bem. Desligue o fogo e espere esfriar.
Coloque um pouco (1 fio) de gelatina já fria (mais liquida) na forma e espalhe, para vedar, espere endurecer e coloque mais um pouco. Se possível vá acrescentando aos poucos a gelatina dentro do congelador. Coloque 2 dedos da gelatina e assim que estiver dura despeje delicadamente o restante. Deixe endurecer e com o auxilio do suporte retire da forma.